publicidade
Blog Quem Bahia

Por João Mascarenhas

Entretenimento

Superação,Projeto 15 Primaveras da Escola Municipal Maria Antônia da Costa

27 set 2018

| 11:42h | Entretenimento
 Superação,Projeto 15 Primaveras da  Escola Municipal Maria Antônia da Costa

Superação foi o tema do projeto 15 Primaveras deste ano, sétima edição. Já o empoderamento feminino, a principal proposta. Esta definição descreve muito bem a Helen Sousa de Jesus, 15 anos, de hoje. Ela foi uma das 26 alunas da Escola Municipal Maria Antônia da Costa, do bairro Santa Mônica, presenteadas com o baile de debutantes na noite desta terça-feira, 25, na Mansão 888.

Helen perdeu os pais ainda bebê; foi criada pelos quatro irmãos. Portanto, é a caçula e também a única menina. Emocionada, ela conta que tem muito respeito pelos irmãos. “Eles foram os verdadeiros pai e mãe pra mim”, relata. Mas também se viu envolvida em muitas discussões dentro de casa. Foto: Washington Nery

Mudança de perspectiva e elevação da autoestima

Uma das estratégias do projeto para aumentar a autoestima das meninas são as palestras proferidas por mulheres que venceram na vida. Helen conta que foi a conversa com a pastora Iranara Braga que mudou sua perspectiva. Cristã, a jovem viu nas palavras de fé da pastora que deveria buscar entender o lado dos irmãos e ao mesmo tempo se impor.

“Nessas discussões, eu sempre ouvia e ficava calada. Hoje eu me imponho, exponho minha opinião até demais!”. Para Helen, essa mudança é bem vista pelos irmãos. “Eles gostam de ouvir. Às vezes eles merecem!”, garante aos risos. Confiança e respeito mútuos são os sentimentos que ela destaca após os quatro meses do projeto. “Hoje eu posso dizer que eles são meus melhores amigos”.

Desde maio, as jovens que participaram do projeto 15 Primaveras vêm assistindo a palestras e participando de rodas de conversas com mulheres que superaram os desafios da vida. Elas receberam visitas de professoras, maquiadora profissional, uma modelo profissional dando dicas de passarela e fotografia, psicóloga para ajudar a lidar com as emoções, enfermeira acompanhada de uma equipe que falou sobre sexualidade, advogada que tratou do tema violência e uma dançarina do Programa do Faustão, da Rede Globo, que é ex-aluna da escola.

“O nosso objetivo é trazer mulheres que tiveram histórias difíceis, mas que superaram esses desafios. Assim, nossas alunas podem se identificar com essas mulheres. A mensagem que a gente quer passar para elas é que as dificuldades estão aí, para todos e todas, mas que podemos vencê-las’”, argumenta a coordenadora pedagógica da Escola Maria Antônia, Tamara Rabelo de Oliveira.

O tão sonhado baile

Além de contemplar alunas que completam ou completaram 15 anos em 2018 e não têm condições de realizar uma festa por conta própria, em sua maioria, o projeto busca envolver também meninas mais tímidas. O empoderamento proposto pelo 15 Primaveras alcançou Helen não só dentro de casa, mas também na pista de dança. Além da valsa com o príncipe, ela e suas 25 colegas também dançaram sozinhas e entre si. De funk a arrocha; de ‘quadradinho’ ao rebolado do ritmo nordestino.

Ex-aluna integra grupo de bailarinas do Faustão

Wlady Lacerda fez o Ensino Fundamental na Escola Maria Antônia da Costa e atualmente integra o grupo de bailarinas do Faustão. Além das palestras ao longo do projeto, ela fez questão de comparecer ao baile para incentivar as meninas. Para ela, o momento de danças individuais reforça a ideia de superação e empoderamento. “A mulher deve dançar todos os ritmos musicais. Funk, forró, sertanejo. O que ela quiser dançar, tem que dançar sim! Sem tabus e sem preconceitos. Dançar é isso: ser livre”, enfatiza.

Para Nelcilandia Arouca, diretora da escola, o impacto causado na vida das alunas ao longo destes sete anos é perfeitamente visível. “A gente pode acompanhar o desenvolvimento de todas as alunas que participaram. As meninas contam que se tornaram outras pessoas, que passaram a enxergar a vida de outra forma. Então, sem dúvida, o projeto é um divisor de águas na vida delas”, relata.

Ela, as vice-diretoras Ilnara Brandão (turno matutino) e Ivana Rita Matos (turno noturno) e toda a equipe de professoras e funcionários da escola foram homenageados pelas estudantes durante a festa. “Obrigada por dar voz e vez a tantas e tantas de nós durante todo o ano”, afirmou Jessica Barbosa, uma das alunas responsáveis pela narração do conto “Castelo da Emmac”.

Em 2016, o projeto foi abraçado pelo apresentador de TV Luciano Huck. Ele compareceu de surpresa à escola, após receber uma carta da vice-diretora Ilnara Brandão. O ator Rodrigo Simas, atuando na telenovela “Malhação” à época, surpreendeu as alunas no baile. Em 2017, foi a vez da dupla Naldinho & Léo Rios aparecer de repente na culminância do projeto.

Neste ano, a grande atração surpresa foi o cantor feirense Fillipe Aladin. “Para mim, foi uma felicidade imensa. Muito gratificante fazer a festa para essa galera que tá realizando um sonho. Se tiver outra dessa amanhã, eu tô aqui de novo!”, assegura o cantor. O DJ Symba, que participou de seis dos sete anos do projeto gratuitamente, foi o responsável pela segunda parte da festa. “Sempre fiz questão de participar desse evento. É uma satisfação enorme. Isso não tem pagamento”, destaca o DJ.



Vídeos

Arquivo de Matérias



Publicidade

Fotos

Twitter

© 2009 - 2018. QuemBahia.com - Todos os direitos reservados.     Painel administrativo.